Artigo

Análise fotoelástica das tensões induzidas em implantes por próteses parciais fixas cimentadas, parafusadas e mistas

O uso de próteses implantossuportadas tornou-se uma modalidade terapêutica altamente difundida e confiável para a reabilitação de pacientes edêntulos. O sucesso dessa terapia está associado a um equilíbrio entre fatores biológicos e mecânicos. Em próteses sobreimplantes, a retenção se faz por meio de parafusos ou cimentos; entretanto, não existe um consenso na literatura sobre a melhor opção. Assim, testes de tensão programados foram utilizados para determinar a transferência de tensão de 20 infraestruturas, sendo cinco parafusadas, cinco cimentadas e dez mistas (alternando-se a sequência de pilares) aos implantes, com o objetivo dos resultados obtidos serem de interesse clínico. Através deste estudo observou-se a formação de franjas isocromáticas, resultado das tensões geradas ao redor dos implantes após a instalação das diferentes infraestruturas e, após a aplicação da carga axial compressiva de 100 N, podemos concluir a falta de adaptação passiva desta infraestrutura pela formação de tensões de baixa magnitude em alguns implantes. As infraestruturas cimentadas e mistas revelaram níveis mais baixos de distribuição de tensão quando submetidas à carga compressiva, comparadas às próteses parafusadas.

Autores: Marcello Roberto Manzi, Angélica Castro Pimentel, Flavia Maria Lopes, Carolina Pepe Duarte Guimarães, Cláudio Luiz Sendyk e Wilson Roberto Sendyk
Revista: ImplantNews 2009 | v6n1

Publicidade

Bioactive