Artigo

Avaliação da resistência de união à microtração de materiais restauradores indiretos à dentina

Objetivo: avaliar a resistência de união à microtração de três diferentes materiais restauradores CAD/CAM à dentina. Material e métodos: foram selecionados 12 terceiros molares humanos, divididos em três grupos de acordo com o material restaurador utilizado: RC (resina composta Z100, 3M/Espe); LU (resina nanocerâmica Lava Ultimate, 3M/Espe) e CR (cerâmica Paradigm C, 3M/Espe). Os blocos de RC foram confeccionados com a técnica incremental sobre molde de silicone. Os blocos LU e CR foram obtidos por máquina de corte a partir dos blocos originais. As superfícies dos blocos RC e LU foram jateadas com óxido de alumínio, condicionadas com ácido fosfórico 37% e foi aplicado o adesivo Single Bond Universal (3M/Espe). Os blocos CR receberam o mesmo tratamento, as superfícies foram jateadas com óxido de alumínio, condicionadas com ácido fluorídrico 5%, agente silano e adesivo Single Bond Universal (3M/Espe). O preparo do substrato dentinário foi realizado com ácido fosfórico 37% e aplicação do adesivo. Os três grupos foram cimentados com resina composta Z100 Universal pré-aquecida. O conjunto dente/bloco foi fixado em máquina de corte, obtendo 40 filetes de 1 mm² por grupo, os quais foram submetidos ao teste de microtração (Instron). Os resultados foram submetidos ao teste estatístico Kruskal-Wallis, onde adotou-se um nível de confiança de 95%. Resultados: o teste demonstrou diferença estatística entre os grupos avaliados (p=0,003). Foram observados maiores valores de resistência de união para o grupo LU (3,55 MPa), diferindo estatisticamente dos demais grupos (p=0,002). Conclusão: a resina nanocerâmica apresenta melhores resultados na resistência de união à dentina, quando cimentada com resina composta pré-aquecida.

Autores: Caroline Nau, Valentina Rega, Madalena Lucia Pinheiro Dias Engler, Carolina M. Taguchi, Elisa Oderich e Luís Leonildo Boff
Revista: ImplantNews 2020 | v5n3

Publicidade

Bioactive