Artigo

Avaliação funcional do desenho de três brocas de preparo para colocação do implante dentário

Objetivos: avaliar o desempenho de furação de brocas. Material e métodos: três sistemas de implantes brasileiros foram testados: A (FGM, Joinville); B (Neodent, Curitiba); e C (SIN, São Paulo). A força de furação foi mantida constante e igual a 35 N. A rotação das brocas foi de 800 rpm e os corpos-de-prova foram mantidos em temperatura de 36°C ± 2°C, sendo a água destilada como fluido refrigerante. Dados sobre a temperatura e torque de furação foram adquiridos, e o desgaste das brocas foi avaliado por MEV. Os testes Anova e Tukey (a=5%) foram utilizados na análise estatística. Resultados: as brocas são eficazes, não ultrapassando a temperatura de limite biológico (47°C). Conclusão: de acordo com os ensaios realizados, a broca do grupo A reúne características que a habilitam como broca de perfuração única no preparo do leito do implante dentário. A análise em MEV mostrou que os grupos A e B mantiveram os gumes de corte bem defi nidos e sem desgaste aparente.

Autores: Rafael Cury Cecato, William de Souza Wiggers, Luan Eugênio Merlo, Steferson Luiz Stares, Márcio Celso Fredel e Cesar Augusto Magalhães Benfatti
Revista: Revista ImplantNewsPerio 2017 | v2n4

Publicidade

Bioactive