Artigo

Laserterapia no tratamento de déficit neurossensorial decorrente de procedimento cirúrgico em Implantodontia

Neste estudo clínico prospectivo avaliamos a eficácia da laserterapia no tratamento de déficit neurossensorial de curto e longo período de existência, decorrente de procedimento cirúrgico em Implantodontia. Foram tratados um total de 51 pacientes, com Laser díodo de GaAlAs, com comprimento de onda de 830 nm, potência nominal de 40 mW, modo de emissão contínuo, dosagem total aportada por sessão terapêutica de 18 joules. Os pacientes foram divididos em dois grupos de acordo com o tempo de existência da lesão. Um grupo, com 28 pacientes, denominado de imediato, que apresentava lesão neurossensorial de dois a 15 dias e outro grupo, identificado como tardio, com 23 pacientes, onde o tempo de existência da lesão era de 30 a 365 dias. No grupo imediato, 72,7% da amostra apresentou melhora absoluta; 18,3% conseguiram melhora relativa da sensibilidade; 9% não responderam ao tratamento. No grupo tardio, 27,7% dos pacientes apresentaram melhora absoluta; 55,6% conseguiram melhora relativa da sensibilidade; 16,7% não responderam ao tratamento.

Autores: Thereza Christinna Ladalardo, Aldo Brugnera Junior, Elisângela D. Bologna, Pedro V. Dias, José Tadeu T. Siqueira e Roberto Augusto de C. Campos
Revista: ImplantNews 2004 | v1n2

Publicidade

Bioactive