Artigo

Metodologias de análise da composição química da superfície dos implantes

Os trabalhos disponíveis na literatura apresentam resultados divergentes da análise da composição química da superfície dos implantes comerciais, por empregarem diferentes técnicas. Considerando que esta propriedade influencia na osseointegração, os cirurgiões-dentistas precisam ter confiança nas informações obtidas na literatura e nas fornecidas pelos fabricantes. Quando a análise da superfície é feita de modo correto, é possível identificar diferenças positivas e negativas na composição química entre os implantes comerciais. O objetivo do presente trabalho foi apresentar resultados das análises da composição química da superfície de implantes comerciais produzidos no Brasil e importados, e sugerir procedimentos para estas análises. Os resultados mostraram que os implantes jateados são os que possuem maior probabilidade de terem contaminantes na superfície, e a análise da composição química usando EDS (energy dispersive x-ray spectroscopy) é a técnica que apresenta menor confi abilidade.

Autores: Carlos Nelson Elias, Daniel Jogaib Fernandes e Ana Caroline Crema de Almeida
Revista: Revista ImplantNewsPerio 2017 | v2n4

Publicidade

Bioactive